Em 8 meses, mais de 1,1 mil pessoas desapareceram em MT | Mato Grosso


    De janeiro até agosto deste ano, 1.173 pessoas já desapareceram em todo o estado. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (Sesp), entre os desaparecidos, 754 são homens e 419 são mulheres. Não há registros de quantas pessoas foram encontradas.

    De janeiro a dezembro de 2019, a Sesp registrou 2.112 casos de desaparecimento. Em 2020 foram 1.712.

    Já faz quase um ano que o Wuederson Carneiro de Souza, de 33 anos, desapareceu. Ele foi trabalhar em um garimpo no estado do Pará e desde outubro do ano passado não entrou mais em contato com a família.

    A mãe de Wuederson, Neuza Maria Souza, encontra na fé a esperança de reencontrar o filho vivo.

    “Tenho esperança de encontrar ele em algum lugar, mas com vida. Que ele volte. Sempre que o celular toca, eu corro para ver, na esparança que um dia ele retorne a ligação.

    A família já levou o caso à Polícia Civil em Cuiabá, que investiga o caso.

    A Aline Borges Guimarães, de 41 anos, também está desaparecida. Ela sumiu na cidade de Canarana, amigos e parentes estão há três meses sem notícias dela.

    “Ninguém tem mais notícias, se ela se encontra viva ou morta, de uma forma ou de outra queremos saber o que aconteceu com ela”, diz o amigo Jocasta Porto.

    Segundo o Roberto Amorim, delegado do Núcleo de Pessoas Desaparecidas da DHPP de Cuiabá, há uma média de 92% das pessoas localizadas.

    “Isso em virtude das próprias informações que a vítima dá e das investigações”, afirma.

    O delegado alerta: quando uma pessoa desaparece, a família deve avisar logo à polícia. Ele afirma que as pessoas têm demorado para decidir fazer o boletim.

    “Não importa o tempo, não há necessidade de esperar 48 horas, justamente para beneficiar a celeridade das investigações. Trabalhamos 24 horas para entregar as vítimas com vida aos seus familiares”, diz.